Search

Fernando de Noronha: Roteiro de 5 dias e dicas da Crys

Fernando de Noronha

Olá pessoal, mais um post para a seção Amigos Viajantes! A amiga Crys viajou com o marido para Fernando de Noronha, neste feriado de 12/out, e enviou esse relato com dicas e um roteiro de 5 dias. Adoro quando os amigos viajam e topam dividir a experiência com a gente!

Fernando de Noronha

Vamos ao relato da Crys:

Fizemos uma viagem para comemorar 18 anos de casados. Nosso propósito era revisitar Noronha, mergulhar e descansar. No nosso caso não dava pra descansar na volta.

Embora eu não seja nenhuma especialista, seguem algumas dicas para colaborar com quem deseja conhecer esse paraíso imperdível:

1. O que Levar e outras Dicas
2. As taxas
3. Pousadas
4. Melhor época
5. Onde comer
6. Transporte na Ilha
7. Principais passeios e valores por pessoa
8. Roteiro de 5 dias

1. O QUE LEVAR E OUTRAS DICAS


  • Protetor solar. O sol é muito quente.
  • Blusa com proteção UV
  • Snorkel. O aluguel em Noronha custa em torno de R$10,00 por dia e eles entregam na pousada, mas vale levar o seu.
  • Squeeze. Tem vários pontos de recarga de água por 3,00, enquanto a água pequena custa 6,00 e a grande 10,00. Vale muito a pena usar a squeeze para recarga.
  • Bolsa térmica. Principalmente se for alugar bugre. A maioria das praias não tem estrutura. Quando tem a locação de barraca e cadeira não fica menos de R$ 50,00. Vale passar no mercadinho e levar bebidinhas,  também tem gelo na pousada ou no mercado.
  • Secador de cabelo. A maioria das pousadas não tem.
  • Bateria portátil. Passamos o dia na rua, então a bateria do celular e da GoPro acabam bem rápido.
  • GoPro ou câmeras para mergulho. Atenção tem praias que é proibido o pau de selfie, então vale trazer aquele suporte de mão. É um acessório excelente pra mergulho.
  • Sapatilha de mergulho. Vale para fazer caminhadas por cima das pedras. Eu não usei, mas em alguns locais a pedra era quente e machucava , então pode ser uma boa. Na Decathlon é possível adquirir na loja física ou pelo site.
  • Remédios. Principalmente aqueles para pancadas e cortes por conta das pedras. Não vi muitas farmácias na região, então é bom levar aqueles SOS.
  • Tênis. A maioria das trilhas podem ser feitas de chinelo, mas as trilhas mais pesadas devem ser feitas de tênis. Não fizemos as trilhas hard.
  • Boné. O Vento é muito forte, então vale usar boné e viseira bem presos. Vi muita gente perdendo o chapéu.
  • Chinelo Havainas. De preferência porque não solta as tiras. Os chinelos precisam ser fortes porque andamos muito e tem muitas pedras. O do meu marido arrebentou no primeiro dia (compramos outro por R$ 50,00).
  • Nem adianta trazer salto alto, as ruas são de pedra e usar salto fica bem perigoso.

Se puder marque o assento do avião no lado esquerdo. Quando chega há um pequeno voo panorâmico e a foto deste lado fica incrível.

A maioria dos locais aceita cartão de crédito e débito, mas a internet não é lá essas coisas. Táxi e Guias só com dinheiro.

Não deixe de consultar a tábua de marés (nas marés muito baixas o Atalaia e o Sueste não ficam muito bons) e a previsão de tempo antes de decidir a data. Lua cheia geralmente aumenta as ondas e o vento swell prejudica as condições de mergulho.
Confira as condições de tempo e tábua de marés assim que chegar na ilha e marque logo os passeios de mergulho, Atalaia e de barco. Esses são muito dependentes das condições.

Fernando de Noronha

2. AS TAXAS


É muito importante conhecer o sistema e se programar, pois só entra na ilha com o pagamento feito ou pagando no aeroporto, o que não recomendo. Noronha tem duas taxas dedicadas para preservação do meio ambiente.

A primeira, TPA (Taxa de Preservação Ambiental), custa aproximadamente R$ 69,00 ao dia, pagamos R$ 347,68 por pessoa, ela é obrigatória e a comprovação de pagamento já é conferida no aeroporto, na chegada e na saída, portanto guarde o comprovante, eles entregam um canhoto que confirma o pagamento e precisa ser entregue no aeroporto no dia da volta. Essa taxa pode ser paga via internet, no site oficial de Fernando de Noronha, crianças a partir de 5 anos já pagam a taxa. Vale pagar a taxa pela internet, assim o desembarque fica mais rápido porque a fila para quem já pagou é menor no aeroporto onde ela é conferida. Não deixe de trazer tudo impresso.

A segunda taxa é destinada a manutenção de alguns parques, entre esses estão: Atalaia, Baía dos Golfinhos, Praia do Sancho, Baía do Sueste, Praia do Leão. Você só consegue entrar nesses locais com a comprovação do pagamento. Ir a Noronha e não conhecer esses locais é impossível, então não há como fugir dessa taxa. Ela custa R$ 99,00 válidos por 10 dias.  Pode ser paga num quiosque na praça principal que fica aberto até 21:00, lá você recebe um cartão que comprova o pagamento, esse cartão deve andar com você, pois é seu passe para entrada nos parques citados. Recomendo pagar logo no primeiro dia.

3. POUSADAS


Em geral as pousadas ficam na Vila dos Remédios, Floresta Nova e Floresta Velha. Desses locais você pode ir andando aos principais restaurantes. As diárias médias ficam em torno de R$ 500,00. Vale ver aquelas que tem boa nota no Booking.com.

Quase sempre são casas pré moldadas em madeira, simples, mas muito aconchegantes . A nossa, Lenda das Águas, amamos. Excelente atendimento. Ótimo café da manhã, ar condicionado, wi-fi, chuveiro top e cama muito boa. Não tem piscina, mas aqui ficamos todo o dia na praia e só chegamos para tomar banho e sair de novo.

Tem pousadas mais caras e muito bonitas também, só que por preço bem salgado.

Mapa de Fernando de Noronha

4. MELHOR ÉPOCA PARA VISITAR


Estivemos em Noronha duas vezes, a primeira em dezembro de 2009 e definitivamente não vale a pena para quem gosta de mergulhar, mas vale para surfar. Final de novembro, dezembro e janeiro tem grandes possibilidades de entrada do vento swell, um vento que é propício para criar ondas fortes e grandes. Nesse caso, as condições para mergulho não ficam perfeitas e a única praia recomendada para banho é Porto e Sueste.

A melhor época, segundo os nativos, é setembro e outubro e início de novembro. Desta vez, estivemos no feriado de 12 a 15 de outubro, e as condições estavam perfeitas para mergulho, embora no último dia tenha entrado o tal vento swell bem fraco.

5. ONDE COMER


Em Noronha a alimentação é bem mais cara do que no Nordeste em geral. Também não há restaurantes na areia da praia. É totalmente proibido.
Os restaurantes que servem self-service custam, em média, R$ 85,00 o kg. Tem dois na cidade.

Os melhores restaurantes que experimentamos foi Xica da Silva, Flamboyant (peixe na bananeira - R$ 158,00). O Bistrô Cacimba que é um local lindo com uma decoração diferente, onde comemos o Bobó de lagosta (R$ 202,00). Ambos excelentes. Todos esses tem acesso fácil e pode ir andando se estiverem hospedados na Vila dos Remédios e Floresta Nova.

Tem uma Hamburgueria excelente também. O Sanduíche é bem grande e custa aproximadamente R$35,00. Também é pertinho dos bairros citados acima.

Outra dica é jantar no festival gastronômico da pousada do Zé Maria. É um festival de gastronomia marinha com pratos deliciosos, um super astral, mas tem que agendar antes de chegar na Ilha, pois é muito concorrido e só acontece quartas e sábados. Custa em média R$ 230,00 por pessoa.

As praias não tem muita estrutura, só petisco mesmo. As que têm alguma estrutura são as praias da Conceição, Cacimba do padre e Porto. Recomendo tomar um bom café da manhã, levar biscoito, comer petisco na praia (se for passar por alguma dessas) e jantar à noite.
Também recomendo o bolinho de tubarão do museu do tubarão. Aliás, não é mais de tubarão, é de peixe, mas é divino!!!

Fernando de Noronha

6. TRANSPORTE NA ILHA


É sempre uma dúvida: Alugar bugre, táxi, ônibus ou Ilha tour?
Do aeroporto até a pousada é possível agendar um transfer direto com a pousada, contudo, a minha sugestão é não aguardar o transfer da pousada. Geralmente eles esperam todas as pessoas saírem do voo e saem deixando um a um nas pousadas. Isso demora muito para quem tem pouco tempo e muitos passeios. Pegamos um táxi por R$ 30,00.

Nós usamos os três tipos de transporte, a variação foi de acordo com o roteiro.
Pra quem quer liberdade e privacidade, como foi o nosso caso, recomendo alugar um bugre por dois dias. O valor gira em torno de R$ 200,00 a R$ 280,00 a diária.

No dia da chegada fizemos um passeio nas praias mais próximas, fomos andando e voltamos de táxi - 30,00 (porque o chinelo arrebentou), mas daria pra ter voltado de ônibus por R$ 5,00 a passagem.

No segundo dia, ficamos toda a manhã no passeio de barco e a agência sempre busca na pousada. Na volta, ficamos na praia do porto e voltamos de ônibus, lá é ponto final e o ônibus passa de 30 em 30 minutos.

No terceiro e quarto dia alugamos o bugre (R$ 250,00 diária), o que nos deu independência para seguir nas trilhas e nas praias pelo tempo que queríamos.

No quinto dia, a volta seria 14:30, então optamos pelo táxi para levar e buscar numa praia perto (da Conceição). Pagamos R$58,00 de táxi.

7. PRINCIPAIS PASSEIOS E VALORES POR PESSOA


  • Atalaia – Trilha curta sem custo, só a taxa. Trilha longa R$ 130,00.
  • Barco Vip - R$ 230,00 (com churrasco de peixe e pão de alho e embarcação com até 10 pessoas). Barco normal R$ 180,00.
  • Planasub – R$ 80,00 (aquela prancha que submerge puxando a pessoa)
  • Mergulho de flutuação com Guia no Sueste – R$ 50,00 a 70,00
  • Mergulho de Cilindro para ver o Naufrágio no Porto – R$ 250,00
  • Ilha Tour - carro com ar para até 5 pessoas, táxi – R$ 600,00 (dia)
  • Ilha Tour - carro para grupo 4x4 até 10 pessoas na carroceria - R$ 150,00
  • Ilha Tour - privativo na 4x4 para até 5 pessoas - R$ 1.500,00
  • Ilha Tour privativo no Bugre – R$ 750,00
  • Canoa Havaiana – R$ 210,00
  • Trilhas com Guia (Piquinho, São José, Capim Açu, Esmeralda) – R$ 150,00 por trilha aproximadamente.

8. ROTEIRO DE 5 DIAS


Dia 1


Chegamos no aeroporto 12:30.  Após o check-in na pousada partimos para um almoço rápido num self-service e optamos por ficar nas praias próximas, ou seja, aquelas que poderíamos ir caminhando.

Praia do Cachorro e buraco do Galego: Um local lindo para fazer fotos especiais, mas tem que caminhar um pouco nas pedras. Também tem lugar para mergulho de snorkel.

Fernando de Noronha

Praia do Meio: Da Praia do Cachorro é possível ir caminhando para a Praia do Meio pelas pedras ou por uma trilha que tem um visual incrível. Recomendo ir pela trilha, assim é possível ver as ruínas e um belo visual, além disso poupamos os pés.

Praia do Meio, Fernando de Noronha
Praia do Meio, Fernando de Noronha

Praia da Conceição: É possível ir caminhando da Praia do Meio para Conceição, mas tem caminhos por pedras perto da água e por trilha. A opção depende do tempo que se tem. Como queríamos ver o pôr do sol e sabíamos que voltaríamos nessa praia optamos pelo mais rápido que foi via pedras, mas haja pé...

Pôr do Sol no Bar do Meio: O local é agradável e lindo. O pôr do sol é visto pelo morro do Pico. O bar tem locais especiais quem podem ser reservados antes, tem mesas e pequenos quiosques que custam de R$ 300 a R$ 500,00 de consumação.  Para se ter uma ideia, o valor de uma Heineken no local é de R$ 22,00.

Pôr do Sol no Bar do Meio, Fernando de Noronha

Voltamos de táxi. É possível pedir no próprio bar. Pagamos R$ 38,00 até a praça para pagar a taxa dos parques e fomos andando até a pousada. A noite estávamos muito cansados, pois nosso vôo do RJ foi 06:00 da manhã, então optamos pela Hamburgueria que foi bem rápido e fomos descansar.

* Reservamos na pousada o passeio de barco para o dia seguinte. Optamos por um barco mais vazio e menor. A chance de ver golfinhos na parte da manhã é de 99%.

Dia 2


* Não esquecer de levar o cartão de pagamento da taxa

Passeio de Barco: A agência busca na pousada 07:30 e passa numa loja de locação de snorkel, nadadeiras e coletes para quem desejar. O passeio segue por toda a parte de fora da Ilha e passa por várias praias, pelo Morro Dois Irmãos, Cacimba do Padre, Praia do Sancho parando para mergulho e é um dos lugares mais divinos que já pude ver.  Na ida e na volta são muitos golfinhos acompanhando o barco, vale sentar na frente para ver e filmar bem de pertinho.

Fernando de Noronha
Fernando de Noronha

Praia do Porto: Na volta optamos por ficar na praia do Porto, local de desembarque do passeio. Essa praia tem uma estrutura pequena, mas há bebidas e petiscos. É possível fazer o mergulho de cilindro para ver o naufrágio, mas nós optamos pelo mergulho de snorkel e vimos boas partes do naufrágio e muitas tartarugas, mas o cilindro é recomendável porque os guias te levam em locais melhores e com mais visibilidade.

Praia do Porto, Fernando de Noronha

Museu do Tubarão: É possível ir caminhando para o Museu dos Tubarões (bem pertinho) e comer um bolinho de peixe divino (era bolinho de tubarão, mas agora não mais). O museu é fraco, mas o visual e lindo e a música ao vivo e atendimento também são muito bons.
De lá partimos de ônibus para a pousada. O ponto final é bem pertinho e o ônibus passa de 30 em 30 minutos.
A noite jantamos no Flamboyant e já organizamos o aluguel do Bugre para os próximos dois dias.

Dia 3


Partimos de bugre para o outro lado da ilha. A ilha só tem 7 km, então fica tudo bem pertinho. Hoje optamos por fazer algumas trilhas para chegar nas praias com mais belo visual. Não pode esquecer de levar o cartão que comprova o pagamento das taxas.

Baía do Sancho: Depois de uma trilha de 700 metros em deck, super tranquila, para chegar na praia tem que descer uma escada íngreme por dentro das rochas, mas vale demais a pena. O mar não é muito tranquilo, embora já tivéssemos mergulhado lá vale muito descer.

Baía do Sancho, Fernando de Noronha

Morro Dois Irmãos e Baía dos Porcos: A descida não é por esse mesmo lugar, o acesso é por outra praia, mas a vista do morro Dois Irmãos é imperdível, cartão postal de Noronha e é bom ficar admirando e tirando fotos.

Morro Dois Irmãos e Baía dos Porcos

* Para quem ainda tem fôlego vale seguir daqui para a trilha dos Golfinhos, basta voltar e seguir mais 1 km de trilha sobre o deck, nós fizemos em outro dia porque eu queria ficar na praia.

- Baía do Sueste: Seguimos de bugre para Praia do Sueste, mas a maré não estava com condições melhores para o mergulho com guia, estava seca e decidimos fazer com o guia só no dia seguinte, no entanto essa praia é divina para ficar, basta levar sua barraca, água e o que desejar consumir, mas tem uma estrutura de conveniência nela com poucos itens.

Baía do Sueste, Fernando de Noronha

Cacimba do Padre: Optamos por um entardecer nessa praia estonteante. Tem uma estrutura com bebidas e petiscos. Vale o peixe na folha de bananeira ou iscas de peixe com cervejinha até o pôr sol.

Cacimba do Padre, Fernando de Noronha

Como estávamos de bugre a melhor opção seria jantar nos locais mais afastados, ou Zé Maria ou Bistrô Cacimba, fomos nesse último porque já conhecemos o Zé Maria em outra estada, o Bistrô tem linda decoração e comida deliciosa. Um bobó de lagosta pra ninguém botar defeito!

Dia 4


Hoje foi dia de novas trilhas e mais mergulho. Recomendaria incluir aqui a trilha do Atalaia curta, mas nós já fizemos da outra vez.

Trilha do Mirante dos Golfinhos: 1 km de trilha sobre o deck, lá de cima um visual incrível e grandes chances de ver golfinhos. Vi alguns pulando e algumas tartarugas também.

Trilha do Mirante dos Golfinhos

Trilha Mirante do Sueste: Uma trilha de barro e no mato, mas muito tranquila, uns 950 metros. Um local deslumbrante. Lá de cima é possível ver tubarões e tartarugas nadando.

Trilha Mirante do Sueste
Trilha Mirante do Sueste

Ponta da Caracas e Forte do Sueste: São trilhas que se complementam e vale ficar observando por longo tempo a beleza desse lugar.

Ponta da Caracas e Forte do Sueste

Praia do Leão: Uma praia forte mas de uma beleza totalmente selvagem, não é boa para mergulhar e venta demais.

Praia do Leão

Praia do Baía do Sueste: Percebemos de cima do mirante que as condições de mergulho estavam perfeitas, então mudamos um pouco o roteiro e fomos para o Sueste, contratamos logo o guia que nos leva nos melhores locais para ver a vida marinha, sem eles é quase impossível ver algo, eles também cuidam da segurança, pois o mergulho é por cima de corais e num local muito raso. Nadamos com tubarões, tartarugas gigantes e médias, arraias e lagostas. Com direito até a um tubarão nadando na beirinha pelos nossos pés.

Praia do Boldró: Aqui a minha sugestão é ir cedo e começar por ela, pois me parece (tem que se informar no projeto Tamar) que há uma marcação de tartarugas por volta de 09:30. Não ficamos muito tempo aqui.

Mirante do Boldró: A ideia era ficar perto do Mirante do Boldró para ver o pôr do sol, nesse lugar tem música ao vivo, um local bem simples e o sol se põe atrás do morro dois irmãos. Local para belíssimas fotos. Quando vimos que o local era bem simples fomos bem rapidinho e antes do pôr do sol, comer um bolinho de peixe lá no museu do tubarão e voltamos rápido para ver o pôr do sol que é 17:30 aproximadamente.

Mirante do Boldró

A entrega do bugre era às 19:00 e fomos jantar bem pertinho da pousada. Recomendo o Xica da Silva. Também seria possível incluir aqui a ida as palestras do Projeto Tamar, mas também já conhecíamos.

Dia 5


Último dia e o transfer passa para buscar 14:30. Nesse dia seria possível ir o passeio de canoa ou trilha dos golfinhos bem cedinho para aumentar as chances de ver eles chegando na Baía, mas não queríamos fazer. Optamos por curtir uma praia com calma.

Praia da Conceição: Fomos de táxi, R$ 58,00 ida e volta. Ficamos na praia curtindo. Uma praia de surfista, mas é possível tomar banho. A melhor estrutura de areia de Noronha e, é claro, outra linda praia.

Praia da Conceição, Fernando de Noronha

Voltamos 12:00 para a pousada, almoçamos no Flamboyant e partimos de volta já com saudades!

Fernando de Noronha

Obrigada Crys por dividir com a gente essa viagem linda e romântica. Até me inspirou a comemorar nossos 10 anos de casados em 2019, vou aproveitar todas as suas dicas! Noronha é um paraíso!

Até o próximo post!

LEIA TAMBÉM:

Roteiro de 12 dias por Alagoas e Cânions do Rio São Francisco


Nenhum comentário

Postar um comentário